Número 21

05/01/2021

«Poetas e escritores. / É assim que se diz. / Logo, poetas não são escritores, então o quê —» (Wislawa Szymborska) *
 

The Beatles
The Beatles



Caras e caros,

Nesta crônica — publicada originalmente no site Kultme em 11/04/2017 — listo alguns jovens músicos que se dedicam a tocar canções dos anos 60, especialmente dos Beatles. No texto, trato-os como adolescentes, pois na época todos tinham 21 anos ou menos.

Carlos Machado


 

 



 

A nova beatlemania

         
Carlos Machado
 


Em vez de curtir sucessos atuais, uma leva de músicos adolescentes high-tech prefere tocar na banda do Sargento Pimenta

Beatles
The Beatles: nova onda de seguidores?


Está no ar uma nova beatlemania. Trata-se de uma onda virtual, formada por garotos e garotas sub-20 que se dedicam a tocar e cantar as canções que fizeram a glória daqueles quatro rapazes de Liverpool, Inglaterra, nos anos 60. Em vez de aprender os sucessos do momento, eles preferem os Beatles e seus contemporâneos. Por quê?

A primeira chave para entender esse fenômeno é notar que todos eles são filhos de músicos beatlemaníacos e fãs dos anos 60 e 70. Então, encontraram em casa, desde sempre, o estímulo e os recursos musicais direcionados para esse lado. Tiveram acesso fácil a guitarras, ukeleles, baixos, pianos, teclados, baterias e o que mais fosse necessário.

As mudanças tecnológicas também jogaram pesado a favor deles. Todos nasceram depois da internet, num ambiente cheio de computadores, tablets, celulares, TVs digitais. Assim, para eles é mais do que natural gravar vozes, fazer vídeos, recortar e colar sons e imagens. Com esses recursos, encontram outros jovens em diferentes países, cantam e tocam juntos, em criativas parcerias virtuais.

Para observar essa nova onda, basta prestar atenção aos ambientes virtuais, especialmente o YouTube. Um aspecto que merece destaque é o espaço conquistado pelas meninas. Elas entraram na área com toda a força. Os exemplos a seguir não deixam dúvida.

Aqui estão alguns adolescentes que representam essa nova beatlemania.

*

MonaLisa Twins

Começo com as gêmeas alemãs Mona e Lisa Wagner, 21, as MonaLisa Twins. Filhas de um casal ligado à cena roqueira anglo-alemã, conviveram com a música desde o berço. Cresceram cantando e tocando junto com os pais. Mona (a de cabelos claros) toca guitarra-ritmo, bateria, gaita; Lisa faz a guitarra-solo. Ambas cantam e harmonizam vozes. Moraram um tempo na Austrália, para aperfeiçoar o inglês.

Mas não é só. Convencidas de sua missão, elas montaram uma banda e se mudaram de mala e cuia para a verdadeira e única meca da beatlemania: Liverpool. E foram tocar exatamente onde tudo começou, no Cavern Club, onde são uma espécie de banda residente. As MonaLisa Twins são o exemplo mais acabado dessa nova beatlemania. Além de cantar canções dos Beatles e de outras bandas dos anos 60 e 70, fazem as próprias composições.



Day Tripper: MonaLisa Twins num clube em Viena, Áustria

*

Amy Slattery

Inglesa. O pai é guitarrista e ela aprendeu a tocar tudo: guitarra, teclado, bateria, baixo, gaita, pandeiro. Em muitas canções dos Beatles, essa miúda, como dizem os portugueses, dá uma de John, Paul, George e Ringo, todos ao mesmo tempo. Ela é canhota, como o pai — e Paul McCartney. Detalhe: em 2016, Amy Slattery cantou e tocou baixo em algumas canções no Cavern, a convite das MonaLisa Twins. Os neobeatlemaníacos se juntam.



You won’t see me: Amy Slattery canta e toca todos os instrumentos

*

Paul Moody

Inglês. Também filho de pai guitarrista e aficionado pelos anos 60, canta e toca todas as guitarras e baixo. Pede desculpas por não tocar bateria. É amigo de Amy Slattery. Os dois têm clipes gravados juntos. Na gravação abaixo, Moody interpreta o clássico Roll over Beethoven, de Chuck Berry, tal como gravado pelos Beatles. Quem canta é o pai. Observe a destreza do moço com as cordas.


Roll over Beethoven: Paul Moody no baixo e nas guitarras, com o pai cantando



And your bird can sing: Paul Moody, vozes, guitarras e baixo


*

Lauren Isenberg e Sina

Lauren é do Canadá. Nesta gravação de Here comes the sun (George Harrison), ela assume a voz principal enquanto a alemã Sina (veja mais abaixo) toca bateria e baixo, além de fazer vocais secundários.


Here comes the sun: Lauren Isenberg e Sina


*

Avonlea e Sina

Americana da Califórnia, Avonlea Martin, 17, canta, toca piano, guitarra e ukelele. Não é exatamente uma especialista em Beatles. Assim como as MonaLisa Twins, compõe as próprias canções, letra e música. Algumas, pelo que vi, bastante maduras para a idade dela. Na bateria — profissionalíssima —, de novo Sina, outra adolescente voltada para os anos 60 e 70. Alemã, nascida em 1999, Sina é filha de músico e tem foco na bateria, mas também toca vários instrumentos.


Something: Avonlea (voz, ukelele) e Sina (bateria)


*

Estas observações sobre os novíssimos fãs da banda do Sargento Pimenta são dedicadas a Luiz Roberto Guedes, poeta, ficcionista e beatlemaníaco de carteirinha. Aqui, esta expressão é literal. Ele costuma repetir: “carteirinha número 2 do fã-clube”.



poesia.net
Outras Palavras

Carlos Machado, 2021

•  A nova beatlemania
    Crônica publicada originalmente no site cultural Kultme,
    em 11 de abril de 2017
_______________
* Wislawa Szymborska
  in "Medo do Palco", Um Amor Feliz, 2016